Como a inteligência emocional aumenta o “poder”?

      Por Grupo Kronberg - (0) Comentários Em 28-11-2016
      Inteligência Emocional

    O poder, nos mais diversos ambientes, como o profissional, familiar, educacional e outros, pode ser usado de diferentes formas para alcançar resultados distintos. É necessário que se compreenda que existem diferentes maneiras de exercer de poder e a inteligência emocional pode ajudá-lo a aumentar o poder compreendendo melhor os contextos nos quais essas relações são formadas.

    É comum que se entenda o poder de duas formas muito distintas. O poder pela autoridade, quando ele é exercido utilizando a força e o cargo ou posição que ocupa e é baseado no desenvolvimento de sentimentos como a intimidação e o medo.

    Há também quem exerça o poder de forma insegura e, por vezes, até se abstenha desse poder, aceitando situações com as quais não concorda apenas para não gerar uma crise ou disputa.

    Segundo o CEO da Six Seconds, Joshua Freedman o ideal é alcançar um equilíbrio entre essas duas atitudes e é exatamente nesse aspecto que a inteligência emocional permite o desenvolvimento de uma consciência para que haja uma reflexão sobre cada situação, cada momento e uma escolha racional e eficiente sobre qual a melhor postura para enfrentar determinado desafio.

    Inteligência emocional aplicada ao poder

    Ao dar-se conta de que o poder que um cargo ou posição social proporciona também é necessário que, em determinados momentos, essas relações de poder sejam flexibilizadas. Isso permite que o profissional seja atendido não por provocar medo nos demais, mas pelo respeito conquistado, o que pode tornar o trabalho mais eficiente e, também, fazer com que a equipe se sinta mais motivada em realizar determinadas atividades de forma mais eficiente.

    Esse equilíbrio entre o poder exercido enquanto autoridade e empatia, permitirá que haja construções profissionais mais produtivas, pois haverá um compartilhamento dos aspectos positivos.

    O líder dotado de inteligência emocional, no exercício diário das atividades, compreende que diferentes situações exigem atitudes distintas, mas mantém o meio termo nas ações realizadas e, dessa forma, aumenta o próprio poder de persuasão e convencimento.

    A inteligência emocional não é usada apenas no contexto profissional, mas ela permite que a pessoa tenha uma qualidade de vida maior, por conseguir lidar mais racionalmente com as adversidades que surgem nos diversos ambientes nos quais frequenta. O poder, nesse sentido, está relacionado tanto à influência com as pessoas com as quais convive, profissional ou pessoalmente, quanto também ao poder de autocontrole e autoconhecimento.

    poder

     

     






Assine nossa newsletter e não perca nossas novidades!