Por que você deve investir mais em relacionamentos?

      Por Grupo Kronberg - (0) Comentários Em 10-12-2016
      Inteligência Emocional

    Um estudo de quase um século de Harvard se propõe a responder: qual a chave para uma vida longa e satisfatória? Por incrível que pareça os pesquisadores irão responder, bons relacionamentos. E a inteligência emocional pode ser um dos segredos para esse caminho.

    O estudo, um dos mais completos e longos da história, teve início na década de 1930, acompanhando a vida de 724 homens que, anualmente, voltavam para responder questionários elaborados pelos pesquisadores. As vastas perguntas incluíam desde informações sobre questões de saúde, até trabalho, estabilidade financeira e claro, os relacionamentos familiares, profissionais e as amizades.

    Ainda hoje, dos 724 pesquisados iniciais, 60 estão vivos e continuam participando da pesquisa e respondendo anualmente como se sentem em relação a várias questões, o que permitiu que os pesquisadores desenvolvessem uma linha para avaliar a satisfação e felicidade desses participantes do longo da vida.

    relacionamentos

    Bons relacionamentos são a chave

    Um dos responsáveis pelo estudo, George Vaillant, quando questionado sobre o que tinha aprendido de mais valioso com o quase secular estudo, afirmou que o que realmente importa na vida são os relacionamentos com as outras pessoas.

    Segundo o pesquisador, foi possível identificar por meio do estudo que mesmo quando uma pessoa apresentava altos índices de sucesso, fama e reconhecimento profissional, mas não possuía bons relacionamentos, a tendência era a infelicidade.

    Robert Waldinger, atual diretor do estudo, afirma ainda que há uma espécie de toxidade quando a pessoa não consegue manter conexões sociais saudáveis. Comumente, a insatisfação com este aspecto da vida contamina outras áreas. “As pessoas que estão mais isoladas do que querem, acham que são menos felizes, a saúde dela declina no início da meia-idade, o funcionamento do cérebro declina mais cedo e elas vivem vidas mais curtas do que as pessoas que não estão sós”, explicou Waldinger.

    Inteligência emocional e bons relacionamentos

    Cultivar bons relacionamentos, entretanto, nem sempre se mostra como uma tarefa fácil. Exercer e manter conexões sociais saudáveis pode exigir uma série de qualidade e esforços pessoais. Neste sentido, um estudo recente comprovou que há uma grande relação entre habilidades de inteligência emocional e capacidade de ter empatia e manter relacionamentos.

    Segundo a pesquisa, a empatia, que permite estabelecer um sentimento de identificação com as outras pessoas, faz com que haja um fortalecimento das relações. Ou seja, quanto maior a empatia que é possível sentir por outras pessoas, maior será a conexão estabelecida.

    Para o CEO da SixSeconds, Joshua Freedman, reconhecida como uma referência mundial em inteligência emocional, há uma profunda relação entre as emoções e os bons relacionamentos. “As emoções são parte da nossa função social – com empatia podemos ler os sinais para se conectar e colaborar com outras pessoas. Os seres humanos são criaturas sociais e as emoções são a linguagem humana universal que nos conecta. Inteligência emocional, então, é como aprendemos a usar essa linguagem”, afirmou ele.

    A chave para uma vida feliz e satisfatória é, então, manter bons relacionamentos e conexões sociais fortes. A inteligência emocional é uma opção para aumentar e aprimorar as capacidades de convivência e empatia, melhorando os relacionamentos e a qualidade deles, o que pode proporcionar uma vida mais satisfatório e longa.






Assine nossa newsletter e não perca nossas novidades!