Como as empresas podem promover o engajamento por meio da inteligência emocional?

      Por Grupo Kronberg - (0) Comentários Em 05-10-2017
      Inteligência Emocional

    Engajamento através da inteligência emociional

    A importância do engajamento dos colaboradores de uma empresa não pode ser subestimada. Comprovadamente, empresas com altos níveis de engajamento são capazes de reduzir o turnover, melhorar a sua produtividade e eficiência, manter clientes e, consequentemente, gerar mais receita.

    No entanto, muitas empresas falham nesta tarefa e bilhões de dólares são perdidos em produtividade anualmente devido a baixos níveis de engajamento.

    Como a inteligência emocional ajuda a promover o engajamento?

    As práticas empresariais para promover o engajamento de seus colaboradores variam desde as tentativas de tornar o ambiente de trabalho mais divertido, com áreas de lazer, jogos, horários flexíveis e decorações arrojadas, até recompensas por performance (bônus por atingimento de metas, viagens custeadas ou dias livres).

    Embora estes métodos soem interessantes, existe uma razão pela qual estas abordagens são suscetíveis a falhas: a maioria destas estratégias atuais de promoção de engajamento são focadas em elementos externos.

    O verdadeiro engajamento vem da relação do colaborador com seus líderes, pares e com o trabalho em si. O engajamento, ao contrário do que muitas empresas pensam, é uma característica que vem do lado interno das pessoas. Trata-se de um desejo emocional e que, portanto, não pode ser tratado de forma exclusivamente cognitiva. E é neste contexto que a Inteligência emocional se faz necessária.

    A inteligência emocional, termo que se tornou famoso pela publicação do trabalho do Dr. Peter  Salovey, ( Salovey, P., & Mayer, J. D. (1989). Emotional intelligence. Imagination, Cognition and Personality, 9(3), 185-211.) é geralmente definida como a capacidade do indivíduo de reconhecer suas emoções e as emoções do próximo, e entender como interpretá-las, sendo sensível a elas em seus pensamentos e ações.

    A Inteligência Emocional permite que líderes possam tomar o conhecimento sobre como suas emoções influenciam o ambiente de trabalho. Líderes podem aprender como suas palavras e ações tem efeito sobre o senso de autonomia e sentimento de competência dos colaboradores ¾ pilares fundamentais do engajamento.

    Soluções corporativas do grupo kronberg para engajamento profissional

    Atualmente é imperativo que as soluções corporativas e o desenvolvimento de pessoas nas empresas passe por uma revolução. Professar que o maior ativo na empresa é o recurso humano não basta. Há que se fazer as transformações necessárias nas estratégias, na forma como se alocam os recursos para o real desenvolvimento e treinamento de pessoas.

    Há quarenta anos, a idade média das pessoas que sofriam de depressão emocional era de 29.5 anos. Hoje, a média caiu para 14.5 anos de idade. Isso acontece apesar das evoluções tecnológicas, dos avanços na medicina, da fantástica mobilidade social e econômica que o Brasil experimenta desde a estabilização econômica de 1994. Então por que, apesar de todos estes avanços, muitos brasileiros estão mais infelizes?

    Segundo Carlos Aldan, CEO do Grupo Kronberg, o fato é que a maioria das pessoas está procurando pela felicidade nos lugares e atividades erradas. “O resultado deste fato implica em um desengajamento do indivíduo não só no ambiente de trabalho, mas também da família, dos amigos e da sociedade. O custo deste desengajamento para as empresas é enorme. Estima-se que, hoje, um terço da força de trabalho esteja desengajado. O absenteísmo aumenta, a saúde fica mais fragilizada, a produtividade inevitavelmente cai.”, completa ele.

    O compartilhamento de conhecimento por meio de soluções corporativas como sessões presenciais de treinamento, palestras, workshops, de forma isolada, produz resultados limitados no aumento de produtividade, de motivação e de resultados financeiros das empresas. Estas ações endereçam somente o primeiro grande desafio de mudança das pessoas e das empresas que é o de levá-las a enxergar a necessidade de mudar. Se farão e continuarão o processo de mudança permanecerá uma incógnita, sem medições e controles, para as empresas que investem isoladamente em palestras. "Para que se produzam resultados impactantes e duradouros, há de se introduzir um conjunto de ferramentas que permitam acompanhar o indivíduo e o grupo na utilização prática dos conhecimentos adquiridos nas interações com seus clientes finais. Além disso, há que se medir os incrementos de produtividade, de engajamento, de felicidade do colaborador para saber se o investimento produz os resultados esperados.", destaca Aldan.

    Pensando desta forma, há dez anos o empresário criou o Grupo Kronberg, que foi o pioneiro no Brasil em programas de consultoria que trabalham o profissional de forma holística, desenvolvendo, primeiro, a consciência para a necessidade de mudança e depois transferindo para o cliente as ferramentas de gestão que possibilitam que esta transformação seja impactante e duradoura, gerando significativos aumentos de produtividade e melhoria no bem-estar de cada profissional submetido a programas específicos.

    Uso de Ferramentas para melhorar o Bem-Estar

    As ferramentas utilizadas para melhorar o bem-estar e competências técnicas dos clientes são o resultado dos mais recentes estudos científicos da Psicologia Positiva, da Neurociência Cognitiva e da Física Quântica. Estes instrumentos são incorporados nas sessões presenciais e nas ações de acompanhamento, tais como, Action Learning, Cliente Oculto, Coaching Executivo, Coaching de Liderança, Coaching de Equipe e Life Coaching, que auxiliam na transformação da utilização do conjunto de atitudes, comportamentos, técnicas aprendidas e interações com o cliente final das empresas clientes em um plano prático.

    Nos programas da Kronberg, o bem-estar é o resultado de cinco elementos, que são: Emoção positiva, já que cientificamente, a capacidade de gerar emoções positivas de forma continuada aumenta a longevidade, criatividade, produtividade, a capacidade de influenciar positivamente no clima organizacional, e melhora a saúde e a percepção de saúde; Engajamento; Relacionamentos; Significado e Conquistas.

    Entre os temas de programas do Grupo estão o desenvolvimento de competências técnicas em vendas, de atendimento a clientes, nos vários segmentos de indústria nos quais atua – Varejo, Hospitalar, Seguros, Automobilístico, Óleo e Gás, Hospitalidade, Alimentos e Bebidas – e as competências de liderança, que são mais facilmente assimiladas e empregadas no plano prático quando há transformação no plano individual.

    Segundo Carlos Aldan, os clientes do Grupo Kronberg, além de terem o pioneirismo e a inovação como aspectos diferenciadores da empresa, contam também com a demonstração de retorno sobre o investimento que é feita mensalmente para o contratante. Assim, o cliente passa a ter a evidência objetiva de ROI nos Programas desenvolvidos. Todas as soluções corporativas podem ser aplicadas em diferentes tipos de segmentos, descubra com nossos consultores a melhor solução para sua equipe. 

    O papel da liderança para promover o engajamento

    Líderes que são emocionalmente inteligentes são capazes de estar sintonizados com suas equipes. Eles enxergam os pontos fortes e fracos claramente com o propósito de promover o sentimento de competência — sentimento essencial para obtenção de engajamento.

    Empresas que querem aumentar os níveis de engajamento de seus colaboradores devem ter seus líderes capazes de se conectar com os colaboradores em um plano pessoal e entender o que energiza e motiva as pessoas. Esta conexão requer um alto nível de inteligência emocional e empatia, que é a habilidade para sentir como as outras pessoas se sentem e conectar-se a elas em um nível emocional.

    A boa notícia é que líderes podem utilizar a inteligência emocional para desenvolver a empatia. Primeiro, identificando e examinando suas próprias emoções. Depois, ao tomar conhecimento de suas palavras e atitudes e seus impactos nas outras pessoas.

    Uma vez com este conhecimento, cabe aos líderes facilitar o sentimento de pertencimento e de propósito de seus colabores e promover colaboração de forma genuína, criando condições em que a automotivação é possível, possibilitando maiores níveis de engajamento na organização.






Assine nossa newsletter e não perca nossas novidades!